Música gospel agita mercado fonográfico no Brasil

A música gospel amplia cada vez mais os seus horizontes e se firmam entre as mais rentáveis no mercado fonográfico brasileiro. Não faltam indicações para reforçar tal afirmação.

A Som Livre, que até há pouco só se dedicava a produtos de música secular (aquela que não tem essência religiosa) , conta há quase dois anos com um selo exclusivo para lançamentos gospel e católicos. A gravadora global já lançou quase 100 itens do gênero.
Em seu catálogo, eles contam com CDs e DVDs de alguns dos campeões do gênero, entre os quais os grupos Rosa de Saron e a cantora Aline Barros e o Padre Fábio de Melo, além do Ministério do Louvor Diante do Trono.
A novidade no seguimento gospel é a Sony Music, que tem agora um selo dedicado à música gospel. Fazem parte de seu Cast cantores como Damares, Rayssa e Ravel, Cassiane, Banda Resgate, Ministério Renascer Praise, Além do Véu, DJ Alpiste entre outros.
Se gravadoras que até há pouco torciam o nariz para a música religiosa entraram nesse ramo, é especialmente porque as gravadoras especializadas no gênero souberam atuar de forma competente e e levá-lo ao auge atual.
Criada em 1992, a Line Records, por exemplo, conseguiu se firmar como uma das gravadoras mais importantes do setor. Atualmente, conta com nomes fortíssimos do gospel como Regis Danese, Soraya Moraes, J. Neto, Robinson Monteiro e Mara Maravilha.
A MK Music é outro selo importante, que atualmente conta em seu elenco com Fernanda Brum, Aline Barros, que são responsáveis pela maior vendagem de CDs e DVDs. A própria Som Livre já lançou uma coletânea com sucessos de Aline Barros.
Uma das razões para a ampliação do público gospel é o fato de esses gêneros terem mergulhado em outras influências musicais como rock, soul, romantismo e MPB, o que tornou o estilo mais pop e mais assimilável pelo grande público.
Um bom exemplo é o grupo Oficina G3 que também faz parte do Casting da MK Music. Trata-se de uma das bandas de rock mais respeitadas do Brasil. Seu guitarrista Juninho Afram já foi capa inúmeras vezes de revistas seculares dedicadas ao instrumento.
O Catedral e o Rosa de Saron são outros grupos roqueiros que ajudaram a popularizar a música de cunho religioso.
Fonte: Providência Online
Com Informações de R7.com
Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: